A eficácia da Advocacia Sistêmica como ferramenta de solução de conflitos

with Nenhum comentário

Aline Borges Moreira – Advogada;

Pós graduada em Direito do Trabalho e Previdenciário;

Mediadora Judicial em Formação;

Membro da Comissão de Direito Sistêmico da 48ª Subseção da OAB/MG.

Email: alineborgesmadv@gmail.com

 

Para atuar com a advocacia sistêmica, além de buscar o conhecimento sobre as ordens do amor conduzidas pelo terapeuta e filósofo alemão Bert Hellinger, o profissional deve necessariamente estudar, compreender e internalizar as leis sistêmicas.

Hellinger descobriu que a questão de conflitos, dificuldades e até mesmo doenças de seus clientes estava interligada a destinos de membros anteriores de seu grupo familiar. Esclareceu que a solução para esses conflitos se norteavam por três princípios: 1 – pertencimento, 2- hierarquia dentro do grupo, 3- equilíbrio entre o dar e receber nos relacionamentos.

É válido lembrar das constelações familiares sistêmicas, pois foi da análise do direito dessa ciência que surgiu o Direito sistêmico.Trata-se de técnica terapêutica exercida por terceiro para instigar a identificação de soluções consensuais para controvérsias na Justiça. O método foi aplicado de forma pioneira no Tribunal de Justiça do Estado da Bahia por iniciativa do juiz Sami Storch, criador da expressão Direito Sistêmico, e hoje é utilizada por algumas cortes do país.

Devemos então indagar; qual a ligação da Advocacia ou melhor, o que tem a ver o direito com as constelações familiares? Entenderemos essa questão através da prática de nosso dia a dia. Mesmo com respaldo da legislação brasileira, nem sempre uma demanda no judiciário poderá solucionar o conflito.

Podemos comparar os conflitos a um misterioso Iceberg. As demandas judiciais resolvem os conflitos que estão visíveis (na ponta do iceberg), e o direito sistêmico através de ferramentas adequadas, soluciona o que está imerso, e ouso dizer; pode proporcionar a cura da dor invisível aos olhos.

O advogado tem um papel importantíssimo nesse tema, pois cabe a nós a tarefa de favorecer as condutas positivas e não estimular ações ou reações que caminham ao oposto daquilo que podemos chamar de Justiça Sistêmica. Se os advogados são indispensáveis à administração da Justiça, que possamos fazer de nossa profissão o exercício do que é direito, começando com a nossa postura com o cliente e depois com a cooperação e o respeito à própria estrutura judiciária.

Pensando em sanar as dúvidas dos profissionais que atuam ou pretendem atuar com advocacia sistêmica, a Comissão de Direito Sistêmico, juntamente à Comissão de Direito das Famílias da 48ª Subseção da OAB, convida toda advocacia e estudantes de Divinópolis e região para o “Workshop de Advocacia Sistêmica: Ferramentas adequadas de solução de conflitos”.

O evento visa a abordagem sistêmica e será apresentado pela Dra. Carolina Faleiros, Advogada atuante desde 2006 e Consteladora Sistêmica Familiar e Organizacional desde 2015, Membro da Comissão de Direito Sistêmico da OAB UBERLÂNDIA/MG e coordenadora do curso de pós-graduação em Direito Sistêmico da PUC MINAS.

As inscrições poderão ser realizadas pelo site do Sympla.com.br.

 

Aline Borges Moreira – Advogada;

Pós graduada em Direito do Trabalho e Previdenciário;

Mediadora Judicial em Formação;

Membro da Comissão de Direito Sistêmico da 48ª Subseção da OAB/MG.

Email: alineborgesmadv@gmail.com